quarta-feira, 12 de julho de 2017

Death - "Scream Bloody Gore" (1987)

Mundo Metal [ Discos Trintões ]



Em 1983, na Flórida, o guitarrista e vocalista Chuck Schuldiner, ao lado de Rick Rozz, formou o Mantas, a banda despontou como uma grande promessa do Metal extremo ao lançar em 1984 a demo “Death by Metal”. Após isso, o conjunto trocou seu nome para simplesmente Death, em 3 anos a banda gravou diversas “tapes” e “lives” até que em 87 saiu do “forno” o primeiro álbum de estúdio. Este debut é considerado um dos precursores do Death Metal, juntamente com o não menos importante “Seven Churches”(1985) do Possessed.

Nas gravações de “Scream Bloody Gore”, a banda era composta de apenas dois integrantes, Chuck, o responsável pelos vocais, guitarras e baixo, e Chris Reifert, o baterista.

Uma novidade que o disco trouxe para a época de seu lançamento foi a maior presença de elementos de Heavy Metal clássico para o som extremo que a banda se propunha a fazer. O disco tem momentos em que os riffs são arrastados e até mesmo melódicos, já durante as partes mais rápidas, é inegável a influência do Thrash Metal. A mistura de diferentes gêneros aliada a ao sentimento de inovação que sempre acompanhou Chuck, formam a receita básica do primeiro disco do Death.

Hoje em dia, ao colocar “Scream Bloody Gore” frente aos demais trabalhos da grandiosa carreira do grupo de Chuck, fica evidente que se trata do trabalho menos elaborado e complexo de todos, o que é algo até natural, afinal de uma maneira geral nenhuma banda em seu primeiro disco alcança o seu ápice em termos de composição e técnica.

Analisando friamente as 10 músicas contidas no disco, podemos facilmente perceber que em certos momentos os riffs parecem um tanto repetitivos (como já foi mencionado, a banda ainda não estava no seu auge criativo), ainda que mesmo assim, todos eles sejam muitos bons e muito bem encaixados.


Músicas como “Zombie Ritual” e a faixa titulo, possuem refrães bem “grudentos” e de fácil assimilação, mesmo com vocal gutural o entendimento das letras é relativamente fácil, fatos estes que tornam a audição muito mais agradável e diferenciada.

Referências a filmes trash de terror aparecem aos montes em “Scream Bloody Gore”, entre os homenageados mais famosos podemos listar "Night Of The Living Dead" ("A Noite Dos Mortos Vivos"), "Dawn Of The Dead" ("Crepúsculo dos Mortos") e a canção "Regurgitated Guts" faz referência a "The Gates Of Hell" ("Os Portões do Inferno"), filmes do diretor italiano Lucio Fulci, ao qual Chuck era fã assumido.

Não há duvidas de que o primeiro registro do Death trouxe consigo uma revolução musical para os headbangers da época, pois na mesma hora muitas bandas tentaram imitar o som apresentado neste álbum, e mais do que isso, passaram a escrever músicas com letras que possuíam o mesmo teor e as mesmas referências. Não é atoa que depois de Possessed e Death, a maioria das bandas de Death Metal nasceram escrevendo sobre temas como horror, carnificina e filmes.

O disco tem varias faixas consideradas clássicas: “Zombie Ritual”, "Baptized In Blood" e "Scream Bloody Gore” são as principais, mas ainda acrescento "Infernal Death" e "Torn To Pieces" na lista de destaques. E isso sem contar a grandiosa “Evil Dead” e sua excelente introdução, na minha opinião, a melhor composição do trabalho.

Este é certamente, um álbum pioneiro dentro de sua proposta e influenciou a música extrema como poucos. Se por um lado não se destaca por ser o mais complexo de seu criador, por outro, guarda até hoje espaço nas coleções pessoais de seus admiradores. Por fim, tendo em vista a grande variedade de bandas hoje existentes e a evolução do Death Metal atual, um disco como "Scream Bloody Gore” pode até não parecer tão extremo e brutal, mas a definição da revista Metal Forces sintetiza com perfeição a importância da obra para a época de seu lançamento: "Death metal em seu estado mais extremo, brutal, cru e ofensivo, o disco que separa os verdadeiros death metallers dos incontáveis modistas mundo afora".


Formação:

Chuck Schuldiner (guitarra, vocal e baixo)
Chris Reifert (bateria)

Faixas:

1. "Infernal Death"  
2. "Zombie Ritual"  
3. "Denial Of Life"  
4. "Sacrificial"  
5. "Mutilation"  
6. "Regurgitated Guts"  
7. "Baptized In Blood"  
8. "Torn To Pieces"  
9. "Evil Dead"  
10. "Scream Bloody Gore"


Redigido por Vitor Hugo Quatroque